Mubius WomenTech Ventures – Mulheres na liderança

Banner Esqueça os presentes "de menina" e "de manino"

Esqueça os brinquedos “de menina” e “de menino”?

A menina pode querer um laboratório, e assim nascer uma cientista. O menino pode querer panelas, e ali surgir um futuro chef!!!

Estou surpresa com as sessões “de meninas” e “de meninos” nas lojas de brinquedos. É hora do varejo e dos fabricantes assumirem o “S” do ESG na prática, alinhar o discurso sobre diversidade e equidade na oferta dos produtos ao mercado.  

Fui a diversas lojas em busca dos presentes: o cenário é invariavelmente o mesmo, e os vendedores repetem o mesmo discurso. Na sessão “de meninos” há jogos, telescópios, laboratórios, robôs, quebra-cabeças, artigos de esporte, carrinhos, e muito mais. Na sessão “de meninas”, a lista é bem mais restrita, basicamente, tudo é monocromático, cor-de-rosa: bonecas, cozinhas, panelas, artigos domésticos, kit de bijuterias, e fica por aí.

Criança não nasce machista ou feminista.

Criança quer brincar!

Muitas famílias têm um discurso inovador, mas na hora do presente de Natal, não se dão conta da reprodução dos estereótipos. E as lojas de brinquedos não ajudam em nada. É assim que os preconceitos se perpetuam. Mais ainda, muitas vocações, de meninos e meninas, são abafadas desde a infância, e o prazer de brincar vai sendo formatado por este mindset que restringe possibilidades.

O varejo e os fabricantes têm um importante papel nessa mudança de cenário. É urgente e necessário rever os critérios de ofertados brinquedos ao mercado, a organização dos estoques, a disposição dos produtos nas lojas, o treinamento do time de vendas, abandonar a perspectiva de gênero na seleção dos brinquedos.

 Essa seria uma maneira eficaz do varejo e dos fabricantes estarem de fato alinhados às perspectivas de ESG, colocar a equidade como um valor na prática, inovar em termos de diversidade, e atender às tendências do mercado.

Essa é também uma forma de fortalecer as futuras liderança femininas, educando as meninas em um cenário de amplas possibilidades.

“Coisa de Homem”? “Coisa de Mulher”?

Brinquedo é “Coisa de Brincar”!

Enquanto isso não acontece, pergunte às crianças o que elas querem ganhar no Natal, converse, observe. Talvez você se surpreenda. Dá pra inovar nos presentes, ajudar e dissolver os preconceitos sobre o que é “coisa de homem” ou “coisa de mulher”, pois brinquedo é “coisa de brincar”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.