Mubius WomenTech Ventures – Mulheres na liderança

Banner o futuro desejado é feminino

O futuro desejado é feminino

Integrar aspectos masculinos e femininos é uma nova habilidade a ser desenvolvida.

O passado é masculino!

Há séculos, a humanidade vem vivendo uma era de valores masculinos. Em todas as esferas da vida aprendemos a competitividade, o individualismo, a ação, o foco em resultados, os resultados a qualquer custo, sempre a partir de uma perspectiva racional. É fácil identificar esses padrões do masculino no mundo do trabalho. Entre as habilidades mais requisitadas estão capacidade analítica, saber gerar números e resultados, e a competição supervalorizada: se o outro se der bem eu não vou me dar bem.

Um modelo social e econômico vem impondo o sucesso como uma forma para atingir a felicidade, somado à ideia de que mais é melhor. Um modelo no qual o fazer sozinho, o não compartilhar, fazem parte desta lógica do sucesso. Um modelo que nos distanciou das emoções, da consciência, do sentido maior da vida. O resultado é uma população com altos índices de depressão, suicídio, burn out, estresse, ansiedade. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão é a doença do século XXI, e o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo: 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população) . Os índices demonstram que algo neste sistema está falhando. Algo está falhando: o aumento de bens de consumo, produtividade e tecnologia não é proporcional ao aumento de felicidade e bem-estar.

Esta forma de viver, de trabalhar, de se relacionar está mudando, dando espaço para as emoções, a colaboração, a intuição, o cuidado, a empatia — valores ligados ao feminino. 

Não se trata de uma questão de gênero, homem ou mulher, mas de uma forma de ser, viver, trabalhar e perceber o nosso entorno de maneira distinta.

Esse tipo de relação está dando lugar a um ser humano diferente, com um novo significado do ser, em detrimento do ter. Quando nos perguntamos pelo sentido daquilo que fazemos, estamos acessando uma maior consciência. Essa visão está sendo valorizada pelas pessoas em todas as dimensões da sua vida.

Existe um futuro provável e um futuro desejável.

Em qual você quer viver?

Futuro provável é o que segue o fio da meada atual. Nem sempre é o que a gente quer que se concretize.

Futuro desejável é o novo. Queremos transformar o futuro desejável em um futuro possível. Transformar o sonho em uma visão motivadora, e agir para que se torne realidade. 

O masculino ressignificado

O masculino está sendo ressignificado. Está deixando de ter como principal função a de provedor, passando a cuidar e a exercer outros papéis, ainda não consolidados, mas sendo discutidos em inúmeras instâncias, dissolvendo antigos estereótipos.

Uma era mais feminina

Uma forma mais equilibrada de viver está sendo vista como relevante, na esfera pessoal e profissional, como um modo mais regenerador, cooperativo, criativo, inclusivo, empático, compassivo, flexível, adaptável, acolhedor, solidário, multidisciplinar.

Um novo ser humano

Embora essas qualidades sejam comumente vistas como “femininas”, estão em todos nós, a partir de uma consciência de cuidar da vida, da criatividade e da sustentabilidade para alcançar o autoconhecimento e estar a serviço do mundo.

Valoriza-se o encontro genuíno consigo mesmo, com a consciência de si, do outro, do mundo.

Independente de gênero, o que o mundo precisa é trazer esses valores para todas as esferas e domínios da vida.

A união de aspectos masculinos e femininos é uma revelação auspiciosa para as lideranças atuais. Podemos dizer que se trata de uma nova habilidade a ser desenvolvida.

1 comentário em “O futuro desejado é feminino”

  1. Marinette de Cacia Freitas

    O seu texto expressa minhas angústias… Me percebo acompanhando o curso dos acontecimentos com mil ideias mas com uma inércia que me abafa e me cala.
    Maravilhoso reencontrar você e sentir vibrar …pulsar meu coração com vontade de fazer o que minha mente sabe que é necessário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.